Igreja Católica Liberal
Província do Brasil
ICL Biblioteca Casamentos Celebrações Clero Notícias
dommarcelo

CARTA PASTORAL

PÁSCOA - 2020


Aos membros do clero, e aos queridos Irmãos de nossa Província:

Que a Paz de Nosso Senhor O Cristo seja convosco.

Mesmo em meio aos perigos que atravessamos neste momento de pandemia, Cristo quer ressuscitar, conforme ele nos disse no evangelho segundo São Marcos, capítulo 12 versículo 17: “Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”, então apesar do isolamento social, que aparentemente nos priva de estarmos todos fisicamente juntos e em comunhão, sejamos um só corpo em comunhão espiritual. Cristo quer ressuscitar.

Na leitura da epístola de hoje, extraída do décimo quinto capítulo da primeira epístola de São Paulo, o Apóstolo, aos Coríntios, principiando no décimo segundo versículo, lemos num dado momento que “Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual.”, então respeitemos as indicações de nossos médicos e cientistas, cuidemos da nossa saúde física, do nosso corpo natural, fiquemos em casa; mas, ao mesmo tempo, não nos esqueçamos que nosso objetivo é ressuscitarmos em corpo espiritual. E para esse propósito podemos começar pelo que o nosso Senhor, Jesus Cristo, nos ensinou em seu primeiro mandamento: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento”. (Mateus 22:37). É esse amor pelo Altíssimo quem nos guiará em direção ao espírito, que é sua imagem e semelhança depositada em nós. Cristo quer ressuscitar.

Cristo quer ressuscitar, ou, Cristo ressuscitou? Afinal, é Páscoa! Qual é o nosso papel nesse drama Pascal?

Um dos nossos Bispos Fundadores, o Reverendíssimo Monsenhor Charles Webster Leadbeater, em um texto sobre a Páscoa, extraído de seu livro “O Lado Oculto dos Festivais Cristãos” nos diz que:

    “Cada um de nós, por sua vez, deverá sofrer a dor simbolizada pela Cruz; cada um de nós deverá aprender a se doar-se inteiramente para o benefício dos outros, mas ambém para cada um de nós há a glória da Páscoa, a Ressurreição, a vitória, o triunfo sobre a matéria”.

    “Esta é uma verdade eterna e gloriosa. A vitória que o homem conquista sobre a sua natureza inferior é algo que todo cristão deve alcançar na vida. Deve haver um omento em sua vida em que finalmente conquiste a matéria inferior e se eleve acima da escuridão do pecado e da ignorância em direção à luz da sabedoria, a uma vida superior e mais pura. Portanto, a Páscoa não é apenas a comemoração de algo que aconteceu no passado distante; é um dia de verdadeira celebração e agradecimento pela vitória que o homem conquistou, está conquistando ou conquistará através de todas as épocas, sobre o que é inferior, o que está menos desenvolvido”.

Assim, imbuídos no propósito de atingirmos a ressurreição para a vida eterna, no Reino de Deus, reflitamos sobre nós, sobre nossa vida, nosso passado, nosso presente, e nosso futuro. Mesmo agora, nesse momento que estamos atravessando, o que tem nos guiado? Quais são os interesses que nos movem? Eles são egoístas ou altruístas? Eles nos unem ou nos separam? Deus é Amor. Cristo é Amor. E o que é o Amor? Se não aquela força que une? Aquela força que transforma dois em um? Que nos conduz do pecado original da dualidade, à salvação na unidade, que é o próprio Deus? No evangelho segundo São João, no capítulo 15 a partir do versículo 9 até o 13, Jesus nos diz que:

    “Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho uardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor. Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo. O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos”.

A Páscoa é a mais alta celebração da tradição cristã, é a comemoração do mistério realizado, é a vitória da vida sobre a morte, é o testemunho da plena realização espiritual. Que esta celebração possa nos lembrar do verdadeiro motivo pelo qual comemoramos sua ressureição: seu Amor incondicional por toda a humanidade. Mesmo que estejamos aparentemente separados, sintamos a força do amor que nos une e nos torna um só em Cristo.

Que a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja sempre convosco, E que seu Amor nos mantenha sempre unidos.

Fraternalmente em Cristo

Páscoa do ano de Nosso Senhor Jesus Cristo de 2020

Reverendíssimo Monsenhor Marcelo Rezende
Arcebispo da Província Eclesiástica do Brasil



ICL Biblioteca Casamentos Celebrações Clero Notícias
© 2020 - IGREJA CATÓLICA LIBERAL
E-mail: igreja@catolicaliberal.com.br
WhatsApp(11)98475-4717
R.Mituto Mizumoto, 301, Liberdade, São Paulo/SP
Missas aos domingos 10:30h.

eXTReMe Tracker